Encararia um armário-cápsula?

É sério, quantas mais, quantas de nós, nunca, mas nunquinha na vida, se viu sem roupa, sem ter o que vestir? E isso vale para aquelas que não tinham mesmo o que vestir e para aquelas que possuem a síndrome do “eu não tenho naaaaaaaaaaaaaada”.

Pois, em meio a discussões sobre moda consciente, sobre compra compulsiva, sobre gastos desnecessários, sobre o que é justo, temos no meio o armário-cápsula, que, com certeza, você já ouviu falar. O armário-cápsula nada mais é do que você ter, em seu guarda-roupa, uma quantidade limitada de roupas focadas na estação, estilo e no que você ama de verdade.

fotinha da Claudinha, da Buenas Imagens (arquivo Pittaco na Moda)

Acredito mesmo que precisamos nos reeducar quanto à moda, quanto ao que vestimos e, mais ainda, como nos comportarmos nesse universo cheio de novidades, de atitude.  E, aqui para nós, se você se encontra numa situação “temerosa”, não muito favorável para compras, eis que há uma solução (risos).

Agora, também, olhando por um outro lado, eu acredito no armário-cápsula principalmente para as mulheres que acham difícil se vestir, que possuem dificuldades com paleta de cores, que encaram as composições em cada look algo de filme de terror. Quem consegue montar um armário-cápsula grava a regra do jogo, e isso acaba valendo para tudo no look: inserção de peças com cartelas de cores mais ousadas e até mesmo com combinações de peças mais marcantes. Tenha fé.

Eu também sei que você tem peças em seu armário que não ama. Quer começar? Separe todas as peças que NÃO AMA. Isso mesmo, nada de separar peças que curte, acha legalzinha, estou pedindo para deixar as que AMA e ponto.

Das roupas que não ama, mas usa, curte, acha legal, acha bacaninha, separe por estação: total verão – total inverno. Ops! Aqui na Bahia isso pouco funciona, né? É mais fácil separar assim: as que esquentam e as excelentes para o calor.

Feito isso, agora as que esquentam (já que estamos no verão) vai para o arquivo morto do armário. Ah! Antes de arquivar, dá uma vasculhada e veja o que pode ser doado, fazendo as perguntinhas legais: dá em mim? Eu uso sempre? Combina comigo?

Das que você afirmou que AMA, é hora de fazer MAIS um filtro (isso demora, mas vale à pena, porque ajuda no processo de desapego, fica o tempo todo marcando na gente o grau de utilidade da peça). As perguntas iniciais são as mesmas para aquelas que você NÃO ama infinitamente: dá em mim? Eu uso sempre? Combina comigo?

PITTACO: Se demora na resposta tem probleminha entre um apego de leve e a realidade, seja firme, melhor chamar aquela amiga (realista), que não tem papa na língua para dar a real. Não precisamos do mundo de Alice nessas horas, ok?

Outro detalhe do armário-cápsula é que você não escolhe apenas as roupas como itens para você abusar na estação, estão inclusas, TAMBÉM, bolsas, sapatos e acessórios! Isso mesmo! Sem cara de espanto.

Mas não vou ser tão radical com você que já está achando interessante a ideia, afinal, sei que você está precisando economizar para pôr aquele projeto em prática ainda este ano, né?

Faz o mesmo para bolsas, sapatos e acessórios, separa tudo que o ama, os demais, abra o coração e doa para quem precisa mesmo, troca com a amiga ou vende por um preço simbólico (por fim, guarda no arquivo morto). Eu sei o quanto difícil é esse processo, por isso que realizo o Troca-troca de Bugigangas…

Voltando. As peças estão separadas, o correto no cápsula é que você escolha um número limites de peças para usar (sem burlar). Tenta com 20, 30 ou 40 (número quebrado também vale). Morra, mas tente 20, 30 ou 40, pois, acima de 50, já deixa de ser cápsula para ser baú (risos).

mesmo achando que essa foto não conversa com o texto coloquei para dar uma “quebrada” na leitura

Entenda:

  1. Armário-cápsula precisa estar de acordo com o seu estilo de vida. Precisa ser formatado pelo seu estilo.

  2. Cada parte de baixo precisa ter 5 peças de cima que combinem, o que facilita os arranjos – teremos post sobre o assunto, viu?

  3. Isso não é para você sair vestida igual de domingo a domingo (não é para fazer conjuntinhos em nome de Jesus). Não é disso que estamos falando. Isso é para aumentar a criatividade de se reinventar com poucas peças, se vestir bem e encontrar a segurança.

  4. Quem aprende a montar looks com poucas peças, domina o segredo da composição dos looks e vai viver feliz para sempre.

  5. Faça isso por 3 meses e antes do 3º mês terminar, monte o próximo. Você vai encontrar a felicidade até para comprar.

E aí? Vai encarar? Aproveita e comenta aí.

Um cheiro!

Posted in Uncategorized.

Comentários no Facebook